IURD – 05/08/2021 – Quinta-Feira

João 2 – Vaso

Maria, Jesus e seus discípulos foram convidados para uma festa de casamento. Em uma festa era comum utilizar como bebida o vinho, que representava a alegria. Agora pense, se o vinho acabasse, então era o mesmo que dizer que a alegria da festa tinha acabado. Em determinado momento, o vinho da festa acabou e Maria falou com Jesus sobre o ocorrido.

Importante: Maria tinha dito a Jesus que o vinho tinha acabado e ele deu uma resposta para ela que aparentemente pode parecer rude. Veja o texto abaixo:

3 E faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho.

4 Disse-lhe Jesus: aMulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.

Quando Jesus falou isso, ele não tinha respondido como filho de Maria mas sim como Filho de Deus. Pois ainda não era a hora, pois tinha o tempo certo para Ele revelar sua missão. Esse foi o primeiro milagre de Jesus. Naquele momento Ele já tinha reconhecido sua Autoridade no Pai Celestial.

Maria disse aos servos que ali estavam para fazer conforme tudo o que Jesus falasse. Então Jesus disse para que se enchesse vasilhas com água e as levassem ao mestre-sala para provar.

Cereja do bolo: Como disse o pastor, os segredo para os milagres acontecerem é seguir tudo o que Deus fala à risca. A OBEDIÊNCIA é a chave do resultado positivo.

Quando provaram do vinho transformado por Jesus, eles ficaram surpresos com a qualidade e o motivo de terem guardado o melhor para o fim, pois na época tinham o costume de oferecer o melhor no início e o pior no fim, mas nesse casamento em que Jesus estava, por ele ter feito o milagre, serviram o melhor no final.

O bom vinho que ele chamou na verdade era a água. Não água propriamente dito, mas transformada em vinho por Jesus. Quando Ele mudou de água para vinho, foi com qualidade, pois tudo o que Ele põe a mão sai perfeito.

A obediência é o segredo para o milagre acontecer.

Palestra: O seu ponto cego

Todo veículo tem seus pontos cegos. Mesmo que ele tenha os retrovisores, ainda sim existem os pontos cegos(áreas que não conseguimos ver), mesmo o motorista sendo experiente.

Os pontos cegos podem nos envolver em acidentes e que em alguns casos podem ser de alta gravidade.

E falando de nós, qual o nosso ponto cego? Onde fica?

O nosso fica no rosto. Porque? Só conseguimos ver com a ajuda de um espelho.

Quando usamos o espelho, conseguimos ver o rosto.

Exemplo: Se você tem um espelho próximo de você e parar na frente dele, irá ver seu rosto. Podemos arrumar nosso cabelo, verificar como está nossa pele, olhos, entre outros.

Por meio dele, podemos ver aquilo que não conseguimos ver no dia a dia sem ele.

Se ao ver a sua imagem no espelho, você não gostar de algo que está vendo, você não tem o costume de quebrar o espelho e sim arrumar aquilo que não lhe agradou, não é mesmo? Você muda o que não está lhe agradando e não de espelho, certo?

Mas e na vida espiritual, quem é nosso espelho? Se você disse que é o Espírito Santo, não está totalmente errado, mas tem outros espelhos que podem ser utilizados e são tão importantes quanto o Espírito Santo. Sabe quem são?

Para quem é casado => Seu marido, sua esposa, seus filhos.

Eles podem ser usados para nos apontar algo que não esteja certo, que pode ser mudado.

Para quem é solteiro => Seu pai, sua mãe, seu pastor, seus amigos.

Eles podem ser usados para nos alertar sobre possíveis quedas, más escolhas, más companhias, entre outros.

Mas diferente do espelho, que ao ver algo que não lhe agrada, a pessoa se chateia e não segue a orientação e com isso não muda o que está errado.

Às vezes você não xinga seu espelho mas faz isso com o seu conjuge, familiares, amigos, pastores, etc…

Muitas pessoas se “quebram” a cara por não ouvirem os conselhos de quem são os “espelhos”. Como vimos no exemplo, assim como em um veículo, os retrovisores podem nos ajudar a minimizar os efeitos dos pontos cegos afim de evitar acidentes, nós podemos reduzir os prejuizos, os acidentes por ouvirmos os conselhos, as boas palavras de quem está vendo o mal, ou o ponto cego em nossas vidas.

Deus pode até usar pessoas incredulas, pessoas que estão abaixo de nós para nos orientar.

Algumas pessoas podem ser o nosso espelho para corrigirmos os pontos cegos (falhas) em nossa vida, mas tem pessoas que mesmo o espelho mostrando o que está errado não dá atenção e continua seguindo na direção do desastre.

Porque não fazer o que o “espelho” orienta?

Temos que estar sensíveis as direções.

Temos que mudar na mesma hora que sabemos os nossos pontos cegos.

Deus abençoe a todos.

publicado
Categorizado como IURD

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *